Fauna

A diversidade de animais existentes na Reserva Mata do Uru é impressionante quando se leva em conta o tamanho da área. Em apenas 128,67 hectares de floresta, vivem centenas de espécies.

O levantamento de fauna existente no local foi revisado recentemente por especialistas para compor a nova versão do Plano de Manejo da propriedade. O diagnóstico dos grupos faunísticos foi por meio de busca ativa, análise de vestígios, pesquisas e monitoramento do ambiente, inclusive com a instalação de armadilhas fotográficas. 

Os Animais

  • Teiú, lagarto

    Teiú, lagarto

    Tupinambis merianae

    Lagarto terrestre e de hábito diurno, que pode chegar a 1,50 m de comprimento. Podem ser encontrados sobre troncos ou próximo a corpos d’água, nadando e mergulhando com destreza, podendo ficar submersos por mais de uma hora. Apresenta caráter oportunista, sendo facilmente encontrado se alimentando de ovos em galinheiros, procurando comida junto das residências ou abrigando-se em tocas subterrâneas que escava. São onívoros, alimentando-se de insetos, caracóis, peixes, anfíbios, répteis, aves adultas, ovos, roedores, frutos e carniça.

    Foto de armadilha fotográfica.

  • Cutia

    Cutia

    Dasyprocta azarae

    Roedor de porte médio e hábito cursorial (terrícola). Possui pelagem marrom-escuro, quase negro. Mede cerca de 50 cm, e pesa em torno de 2,5 kg. Constroem suas tocas embaixo de raízes de árvores ou em barrancos de rios. Formam pares que parecem durar por toda a vida. Cada animal, ou casal, utiliza várias tocas, provavelmente para evitar predadores. A dieta consiste de frutas, sementes, vegetação verde e plantas suculentas. Assim como algumas espécies de porco-do-mato, as cutias podem acompanhar bandos de macacos para ingerir os frutos derrubados. São grandes predadoras de sementes de araucária. Quando o par é formado, ocupa um território de cerca de 2 ha, o qual é ferozmente defendido contra outras cutias. Ocorre do Brasil central ao norte da Argentina.

    Foto de armadilha fotográfica.

  • Onça-parda, puma, suçuarana ou leão-baio

    Onça-parda, puma, suçuarana ou leão-baio

    Puma concolor

    Considerado o segundo maior felino brasileiro, estando representada em todos os biomas do país com ocorrência em uma grande variedade de habitats, como florestas e formações savânicas. Os machos podem chegar a 2,7 m de comprimento, com peso entre 60 a 100 Kg, sendo que as fêmeas são um pouco menores com aproximadamente 2,3 m de comprimento e com peso até 50 kg. Possui coloração variando do cinzento ao marrom-avermelhado, com a ponta da cauda de cor preta. Com hábito preferencialmente noturno, podendo ser também avistados durante o dia, são considerados animais solitários. A espécie está na lista de ameaçadas e é classificada como vulnerável para o Estado do Paraná (IAP, 2010) e Brasil (IBAMA, 2003) e em risco menor pela IUCN (2011). O registro da onça-parda foi realizado nos estudos de levantamento da fauna da RPPN Uru, que por meio de armadilha fotográfica foi capturado um vídeo de um indivíduo da espécie, com aproximadamente 50 kg em sua atividade noturna no dia 17 de abril de 2014. Apesar de apresentar ampla distribuição por todos os biomas paranaenses, o registro em vídeo foi inédito para a região da Lapa, PR. A presença da espécie havia sido constatada apenas a partir de entrevistas com a população local e vestígios. 

    Foto de armadilha fotográfica.

  • Paca

    Paca

    Cuniculus paca

    Roedor grande, a paca assemelha-se à cutia na forma, porém, além do tamanho maior, possui coloração característica, com a presença de quatro ou cinco linhas brancas, pontilhadas e irregulares, em cada lado do corpo. Possui cerca de 70 cm de comprimento e pesa em torno de 10 kg. A exemplo das capivaras, vive em diversos ambientes, desde que próximo à água. Suas tocas possuem várias aberturas para facilitar a fuga, e, como as cutias, um mesmo indivíduo pode ter várias tocas. Alimentam-se de vegetais em geral e parecem ter preferência por abacates e mangas. De hábito noturno, usam sempre as mesmas trilhas para se locomover (carreiros), o que acaba facilitando a ação de predadores e caçadores. São animais solitários e extremamente individualistas. A paca é intensamente caçada por sua carne saborosa e porque destrói as plantações em áreas agrícolas. Amplamente distribuída pela América, ocorre desde o México até o sul do Brasil.

    Foto de armadilha fotográfica.

  • Cachorro-do-mato ou graxaim-do-mato

    Cachorro-do-mato ou graxaim-do-mato

    Cerdocyon thous

    Possui pelagem acinzentada, sendo mais escura no dorso, pernas e face. As patas, ponta da cauda e pontas das orelhas são pretas. É um canídeo de porte médio, com o corpo medindo cerca de 60 cm e o peso em torno dos 7 kg. Possui dieta onívora, alimentando-se do que estiver disponível no momento. Pode ingerir frutos, insetos, roedores, lagartos, anfíbios e aves, entre outras coisas. Frequentemente alimenta-se de carniça.

    Foto de armadilha fotográfica.

  • Gambá-de-orelha-preta

    Gambá-de-orelha-preta

    Didelphis aurita

    Possui orelhas pretas, pelagem escura, com as listras brancas da face e a "máscara negra" em torno dos olhos não sendo tão evidentes. Não se adapta tão bem ao convívio humano, sendo mais comum no interior de matas. 

    Foto de armadilha fotográfica.

  • Tatuí

    Tatuí

    Dasypus septemcinctus

    Possui aspecto geral muito semelhante ao tatu-galinha (D. novemcinctus). Entretanto, é menor e possui apenas sete faixas (septemcinctus) entre os escudos anterior e posterior. Alimenta-se de raízes e pequenos invertebrados.

  • Irara

    Irara

    Eira barbara

    A irara é um carnívoro da família dos mustelídeos, grupo cuja característica visual mais marcante é o corpo alongado. Sua coloração é marrom-avermelhado, mais claro na cabeça e nuca e mais escuro no dorso e cauda. Possuindo um comprimento aproximado de 60 cm sem a cauda e pesando cerca de 5 kg, a irara é bastante ágil nas árvores, sendo um dos principais predadores de macacos. Possui dieta muito variada, que inclui frutos, vertebrados (inclusive cervos pequenos) e mel. Normalmente solitária, pode formar pequenos grupos familiares e mantém-se ativa diuturnamente. 

    Foto de armadilha fotográfica.

  • Mão-pelada

    Mão-pelada

    Procyon cancrivorus

    Também conhecido como guaxinim, possui coloração acinzentada e a cauda é listrada a exemplo do quati, embora não permaneça ereta durante o caminhar. Mede cerca de 40 cm sem a cauda. A conformação de suas patas e dedos lhe confere grande habilidade para manusear objetos, auxiliando também na locomoção em terrenos alagados, seu habitat preferido. Solitário e de hábito noturno, possui dieta variada, ingerindo desde frutos até crustáceos. 

    Foto de armadilha fotográfica.